Habilidades essenciais para quem quer empreender no Brasil

Habilidades essenciais para quem quer empreender no Brasil

 

Com a taxa de desemprego chegando a quase 13 milhões de pessoas sem emprego formal, a busca por uma recolocação está motivando o brasileiro a pensar em alternativas para garantir seu sustento e o da sua família. Muitos veem no empreendedorismo a melhor saída. Não é à toa que o país possui uma das maiores taxas de abertura de novas empresas. Quatro em cada dez pessoas possuem um negócio próprio ou estão envolvidas na criação da sua empresa (fonte: Sebrae). Mas não é só a necessidade que leva muitos a partir para o negócio próprio. Existem aqueles que enxergam a oportunidade de mercado, seja por considerar sua ideia inovadora ou uma nova forma de oferecer seus produtos ou serviços.

Mas é bom lembrar que empreender tem seus riscos e, antes de tomar alguma iniciativa mais prática, é bom ter certeza que está no caminho certo. A seguir, estão algumas dicas para identificar se você tem o perfil e habilidades necessárias para tocar o seu próprio negócio:

 

Estar sempre atualizado
Considere seu real interesse nos assuntos relacionados ao negócio que deseja abrir. Quanto mais se aprofundar, buscando informações em diferentes fontes, conversar com quem já possui uma empresa e estudar todo o cenário que envolve o seu futuro empreendimento, melhor será seu preparo e menor as surpresas no futuro.

 

Seja criativo
É preciso estar atento a tudo o que acontece ao seu redor. Para isso é necessário ter um grau de observação elevado para encontrar soluções simples e inovadoras para os problemas que afetam o dia a dia. Ser um bom ouvinte e ter senso crítico ajudam na análise das situações e a busca com alternativas mais criativas.

 

Ser comunicativo ajuda na persuasão
A comunicação é uma ferramenta importante para divulgar o produto ou serviço. Se o que é dito transmite segurança ao interlocutor, o poder de persuasão é muito mais eficiente. Mas o convencimento não virá só por meio das palavras. É preciso saber ouvir, ter postura adequada, raciocínio ágil e empatia imediata.

 

O poder da autoconfiança
O empreendedor deve acreditar naquilo que está fazendo, isso transmite confiança e honestidade. Uma atitude autoconfiante magnetiza a atenção dos outros e mostra que o empreendedor é alguém em quem as pessoas depositam confiança, portanto, cria laços de fidelidade e facilita o fechamento dos negócios.

 

Ser autocrítico
Ter uma visão sincera dos negócios ajuda a identificar os pontos mais vulneráveis e é o início a para tentar reforçá-los. Serve também para encontrar alternativas para melhorar os processos de trabalho e, se preciso, vale solicitar ajuda e opiniões de pessoas em quem você confia para reforçar sua impressão.

 

Determinação sim, teimosia não
Uma das características mais importantes é a determinação, afinal, no começo do empreendimento nem sempre é um mar de rosas. Mas ser determinado não significa teimosia. Pessoas determinadas aceitam críticas e sugestões para se melhorar e para aprimorar os seus negócios. A capacidade de adaptação é importante porque muitas variáveis estarão envolvidas em um novo empreendimento.

 

Paciência é uma virtude
Nos primeiros meses do empreendimento as dificuldades parecem intransponíveis. A ansiedade em conseguir sucesso o mais rápido possível pode ser um fator que atrapalhe o amadurecimento dos negócios. Uma boa dose de paciência é essencial para dominar todos as áreas da empresa em profundidade para conseguir bons resultados diante dos problemas.

 

Competitividade com ética
Ser competitivo é uma das principais características do empreendedor. O mercado exige essa postura, pois existem diversos concorrentes que atuam no mesmo segmento, e se destacar é questão de sobrevivência. Mas a competitividade deve ser pautada pela ética, ainda mais nos dias de hoje. É importante lembrar que, junto à sua equipe, o que deve ser valorizado é o espírito de colaboração, afinal, todos estão no mesmo barco.

 

Foco nos negócios
O início de um empreendimento é de muito trabalho. São muitas atividades para serem realizadas e a tentação de fazer algo para esfriar a cabeça é muito grande. É aí que está o problema. Assuntos alheios aos negócios podem ser uma bola de neve e quando se der conta, deixou de fazer coisas importantes.

 

Humildade
Começar um empreendimento é como aprender a andar. Os primeiros passos podem trazer insegurança, mas se estiver aberto a aprender com as próprias experiências e, principalmente com os outros, ouvindo e aceitando críticas ou sugestões, o amadurecimento pode ocorrer mais rápido. São muitas informações iniciais a serem absorvidas – finanças, fluxo de estoque, logística, vendas, gestão de pessoas, etc, tendo uma postura humilde, o aprendizado será muito mais eficaz.
Fontes: UOL / Sebrae

 

Curta nossa página no Facebook e compartilhe

Escreva um comentário