O retrato da vitória – A história de Tite

O retrato da vitória – A história de Tite

Vocês não acham que essa imagem retrata muito bem o gosto da vitória?

 

Hoje, decidi começar uma interação mais próxima de vocês e trouxe uma das histórias mais inspiradoras que conheço, e acho justo compartilhar.

Tite é o hoje um dos técnicos da Seleção Brasileira com a maior aprovação dos torcedores e da imprensa esportiva de todos os tempos.

O sonho do gaúcho Adenor Leonardo Bachin, na época conhecido como Ade, sempre foi trabalhar com futebol, porém não como técnico.

Incentivado pelo pai Genor Bachi, Tite se apaixonou ainda criança pelo futebol. A infância humilde em Caxias do Sul nunca foi um pretexto para limitar os seus sonhos.

Tite e seu irmão, Miro, adoravam jogar bola, mas o colégio estadual onde eles estudavam não tinha quadra. Para resolver esse “problema, os garotos decidiram pular o muro dos fundos de um colégio particular de freiras que ficava próximo da casa onde moravam. Traquinagem de criança que marcou o começo de uma carreira promissora.

Na década de 70, o jovem ainda conhecido por todos como Ade, disputou um campeonato entre escolas e foi ali que a sua trajetória começou a tomar outros rumos. Luiz Felipe Scolari, o Felipão, estava encerrando a sua carreira como jogador no clube Caixas e já iniciava a sua experiência como treinador, assumindo o comando do time da Escola Estadual Cristóvão Mendonza.

Em um dos jogos, o talento de Tite chamou a atenção do veterano. Porém, por uma confusão de apelidos, Felipão apresentou Ade como Tite nas peneiras do clube Caixas. Se o apelido pegou? Nem preciso dizer, né…

Esse foi o começo da história de Tite no futebol que ainda tem muitos capítulos a serem percorridos.

Com passagens por times como Caixas, Bento Gonçalves (ambos do Rio Grande do Sul) e Portuguesa (São Paulo), Tite obteve o seu melhor momento como jogador quando se consagrou vice-campeão Brasileiro pelo Guarani em 1986 e em 1987, além do vice-campeonato Paulista de 1988.

Mas, a carreira que tinha tudo para ser um sucesso foi interrompida de forma precoce por conta da sequência de lesões que Tite sofreu no joelho, que o levaram a perder a mobilidade plena de uma das pernas aos 28 anos.

Seria aí o fim da sua vida no esporte? Não!

Tite, apaixonado por futebol, foi em busca de novas oportunidades. Se formou em Educação Física e, em 1990, assumiu como técnico do Guarany de Garibal.

Após “rodar” por muitos clubes, Tite começou a se destacar 10 anos depois do seu início como treinador, quando conquistou o Campeonato Gaúcho pelo Caixas, superando o Grêmio, que na época contava com Ronaldinho Gaúcho.

Até chegar ao sucesso de hoje como treinador da Seleção Brasileira, Tite passou por clubes de diferentes portes e times internacionais. Mas, a sua trajetória começou a trilhar um caminho diferente quando ele assumiu o Corinthians pela segunda vez, em 2010.

O gaúcho foi o responsável por tornar real o sonho do “bando de loucos” de conquistar o título da Taça Libertadores da América, em 2012. No mesmo ano, o clube se tornou Campeão Mundial ao bater o Chelsea.

Foi o topo para Tite? Não!

Em 2014, o treinador, contrariando as previsões dos jornalistas esportivos e dos torcedores, tirou um ano sabático para se dedicar a família e estudar mais sobre futebol e liderança.

Fez cursos na Europa, conversou com treinadores, analisou a estratégia dos grandes clubes e ampliou os seus horizontes.

Após uma terceira passagem pelo Corinthians entre 2015 e 2016, Tite recebeu o seu maior desafio profissional: treinar a Seleção Brasileira que tinha um dos piores retrospectos da história. Havia sido eliminada da Copa América e estava fora, naquele momento, da Copa do Mundo.

Sabe aquela foto que iniciei o e-mail? Então, ela foi tirada durante uma vitória do Brasil no confronto com a Argentina, nosso maior rival, nas eliminatórias para a Copa 2018.

O Tite comandou o time que foi líder absoluto da competição e que chega agora no mês de junho como um dos favoritos para a Copa do Mundo da Rússia.

Torcemos para a conquista do Hexa! E sabemos que estar lá é uma conquista e tanto para o Adenor Leonardo Bachin, o Tite.

Mas, e a Motiveação entra onde nessa história?

Bom, a trajetória do Tite nos passa muitos ensinamentos importantes e que certamente serão valiosos para as empresas e seus colaboradores, como a força da liderança, a importância da busca pelo conhecimento, o diferencial de quem é persistente e como o foco pode transformar situações difíceis em grandes vitórias.

Agora eu te pergunto:

Quantas vezes você deixou de acreditar nos seus sonhos?

Já pensou em desistir?

Deixou-se levar pelo “clima ruim” de uma derrota?

Se a resposta foi sim, não se preocupe, pois é possível transformar esses pensamentos.

Passe a acreditar em você!

Persista, mas esteja sempre aberto ao novo e ao conhecimento.

Aprenda com a derrota e se inspire nas vitórias!

O esporte, o Tite e o mundo sempre terão algo para nos ensinar. E  você sempre terá algo para compartilhar com o próximo.

Para continuar se inspirando em grandes trajetórias, recomendo que você confira no blog da Motiveação histórias incríveis de empreendedores de sucesso que acreditaram em seu próprio potencial.

Nos encontramos no próximo post com outras histórias cativantes. Até lá!

Sucesso para todos!

 

Escreva um comentário